Escrito por:

Jéssica Hilgert

Sommelière, estudante de filosofia e colunista da Casa Tertúlia

2021-04-13 16:10:50

Tags: aves,casa tertulia,galinhas,galinhas d'angola,gansos,meio-ambiente,natureza,ovinos,patos,qualidade de vida,respeito ao meio-ambiente,saude,sustentabilidade,sustentável,uva,uvas,vinhedo,vinho,vinho sustentavel,vinícola,vinicola,vinícola casa tertúlia,vinícola sustentável,vinicolas sistentaveis,vinícolas sustentáveis,vinicolas sustentaveis,viticultura,

Vinhedos sustentáveis

Elaborar bebidas de alto padrão vem acompanhado de muita dedicação nos vinhedos. Conheça um pouco dos cuidados e manejos que adotamos com as videiras aqui na Casa Tertúlia.

O amor por animais e um ambiente sustentável

O primeiro passo para conciliar videiras com animais como ovinos e aves é ter muito amor e respeito no cuidado deles e das plantas. Buscamos um ambiente sustentável onde cada elemento do sistema viva de forma saudável e bem‑cuidada.

Uvas de maior qualidade

O resultado são frutos que apresentam altos níveis de sanidade, maturação e qualidade elevada, crescendo em um ambiente saudável com o mínimo de intervenções. A cada dia investimos em mais práticas para promover um cultivo sustentável.

Conciliação com ovinos para controle de ervas‑daninhas

As ovelhas são parte importante do manejo que adotamos aqui na Casa Tertúlia, pois ao se alimentarem de inços que crescem nos vinhedos elas permitem fazer um controle ambientalmente correto da vegetação sobre o solo, que pode vir a competir com as videiras. Combatendo as ervas daninhas com sustentabilidade, as uvas crescem mais fortes e sadias.

Tecnologia em irrigação subterrânea e segurança hídrica

Conhecendo o terroir do Alto Uruguai gaúcho, sabemos que apesar dos períodos de chuva e frio, também ocorrem verões muito intensos com risco de estiagem. Uvas sem um fornecimento hídrico adequado não podem se desenvolver, correndo o risco até mesmo de morte das plantas. Pensando nisso implementamos uma tecnologia israelense de irrigaçao por gotejamento subterrâneo, que evita desperdícios e permite que as videiras tenham água em momentos chave para ser crescimento, e, por consequência, uvas de maior qualidade.

Cuidado de cada planta, acompanhamento e dedicação na viticultura

Diferentemente de uvas cultivadas em extensos hectares de terra, na Casa Tertúlia optamos por lotes limitados a um tamanho que nos permita cuidar de cada pé, acompanhando em passeios frequentes aos vinhedos o desenvolvimento das videiras. Isso nos permite combater eventuais ataques de insetos, fungos ou outros fatores nocivos de forma pontual e controlada. Assim, se uma planta apresenta alguma enfermidade, ela logo é encontrada e tratada antes de se transmitir para as outras. Se uma videira nova cai no chão e sofre os abalos do vento, ela é rapidamente encontrada e firmada, o que evita machucados nos galhos e caule e, com isso, a entrada de doenças. Cuidados como esses elevam a qualidade das videiras e seus frutos.

Patos, galinhas d’angola, gansos e galinhas caipiras no controle de pragas

A presença de aves na propriedade auxilia no combate de insetos que, em demasia, podem prejudicar as plantas. Um número controlado desses animais permite um número também controlado de pragas. De forma natural, as aves se alimentam desses pequenos insetos e mantêm toda a área em equilíbrio sustentável. Além disso, tornam o ambiente mais bonito e nos alegram com suas visitas e seus banhos no açude.

Contamos com a ajuda de todos

Além das aves e ovelhas temos cavalos que pastam em um ambiente separado do vinhedo e contamos com a ajuda do nosso fiel escudeiro Bob. Ele auxilia a cuidar das ovelhas, nos acompanha pelos vinhedos e está sempre disposto a receber um abraço e um carinho. Sem dúvida esses ajudantes não podiam passar sem serem mencionados!

Uvas saudáveis, a cada ano comprovando que nossa dedicação vale a pena

Ano a ano, a cada safra, recebemos a confirmação de nossos esforços e a recompensa da natureza: frutos sadios, maduros e doces que virarão vinhos ou sucos que expressam o cuidado e a qualidade de um manejo sustentável.

Plantação de mata nativa e recuperação de vertentes

Além do cuidado com as uvas, pensamos que todo o ambiente deve ser tratado com respeito à natureza. Não queremos apenas que os vinhedos sejam sustentáveis, mas que essa prática se estenda para toda a área em que vivemos. Por isso plantamos constantemente mudas nativas, com centenas já plantadas, fazemos a recuperação de água de vertentes, respeitamos matas ciliares e, como dizemos sempre, desejamos um mundo cheio de tertúlias sob as árvores. Acreditamos que novas técnicas e tecnologias sustentáveis, com o auxílio da ciência e das pessoas, podem fazer crescer uma mentalidade de cuidado e respeito ai meio‑ambiente.

Galinhas felizes no vinhedo

Com sua casinha móvel, as galinhas caipiras passam o dia no vinhedo alimentando‑se de insetos, fazendo a limpeza dos vinhedos e fornecendo matéria orgânica. A brincadeira é dizer que às vezes encontramos quase mais ovos do que uvas por lá! Vivendo livres e felizes, conseguimos conciliar a plantação de uvas com aves, que se auxiliam mutuamente.

Vinhedos saudáveis e bem acompanhados

Acompanhamos os vinhedos frequentemente para garantir que tudo esteja em ordem.

Colheita da uva

Nesta foto temos as caixas dispostas em cada fileira para a colheita dos frutos que partem direto para a vinícola, onde são processados de modo a manter sua qualidade no produto final. Claro que o Bob está acompanhando!

Qualidade, qualidade e qualidade

Perseguimos de forma crescente a excelência no que fazemos. Frutas com qualidade para produtos de qualidade.

Manejo de ovelhas

Para que possamos garantir as melhores condições nos vinhedos, fazemos uma seleção de períodos e número de animais que ficam no vinhedo, o que é fundamental para a saúde das plantas e a qualidade dos frutos.

Alegria em encontrar um ambiente fértil e sustentável

Quando as uvas começam a surgir, compreendemos que estamos perseguindo o caminho certo, sempre evoluindo e buscando mais qualidade, sustentabilidade e ume vida feliz e saudável.

Patinhos e gansos tomando banho no açude

Uma cena que muito se vê pela Casa Tertúlia!

Vinhedo ao fim do dia

Sol se pondo nos vinhedos em um dia de verão, logo após a vindima.

Um pouco das cores do Alto Uruguai gaúcho

Com belos planaltos e longos horizontes, muita incidência solar e grande variação térmica, o Alto Uruguai tem um terroir próprio e promissor para os vinhos.

Mais informações sobre o assunto em:

https://revistaadega.uol.com.br/artigo/vinicolas-brasileiras-comecam-a-utilizar-metodos-sustentaveis-na-sua-producao_3505.html
https://revistapesquisa.fapesp.br/ovelhas-e-gansos-entre-as-vinhas/https://www.clubedosvinhos.com.br/sustentabilidade-na-producao-de-vinhos/#:~:text=Antes%20de%20tudo%2C%20%C3%A9%20preciso,processo%2C%20ou%20melhor%2C%20minimizando%20os https://wp.ufpel.edu.br/vitivinicultura/ https://www.ecycle.com.br/component/content/article/41-pegue-leve/2643-vinho-sustentavel-ecologico-bebida-dos-deuses-saudavel-ambientalmente-correto-naturais-verdes-mercado-organico-simples-agrotoxicos-sulfitos-so2-dioxido-enxofre-antroposofia-filosofo-cosmos-exotico-chifre-vinificacao-antioxidante-leveduras-toxico.html https://engarrafadormoderno.com.br/materia-principal/a-sustentabilidade-nas-vinicolas
https://www.clubedosvinhos.com.br/sustentabilidade-na-producao-de-vinhos/#:~:text=Antes%20de%20tudo%2C%20%C3%A9%20preciso,processo%2C%20ou%20melhor%2C%20minimizando%20os
https://abrafrutas.org/2019/04/tecnicas-sustentaveis-de-plantio-preservam-o-solo-e-aumentam-rendimento-da-producao/

« »
Escrito por:

Jéssica Hilgert

Sommelière, estudante de filosofia e colunista da Casa Tertúlia

2021-04-09 14:29:00

Tags: beurre noisette,brown butter,brut,brut alliance,casa tertulia,espumante-brut,frutos do mar,harmonizar espumante,harmonizar espumante brut,manteiga,manteiga dourada,moscato,moscato de alexandria,moscato-2019,receitas com espumante,risoto,risoto com espumante,risoto de espumante,risoto de vieiras,risotto,risotto de espumante,risotto de vieira,vieiras,vinho branco,

Risotto de Espumante com Vieiras na Manteiga

Este prato é servido com um inusitado risotto de espumante, que é coberto por vieiras douradas na manteiga com cheiro verde e finalizado com uma colher extra de beurre noisette. Uma refeição saborosa e diferente, ideal para fazer acompanhado ou mesmo para aqueles dias em que você só quer cozinhar algo especial para si mesmo.

Aprender os segredos para fazer risotos pode ser um pouco cansativo no começo, mas uma vez manejada a técnica, é possível cozinhar pratos incríveis, dos mais práticos aos mais elaborados. Quando você pega o jeito, é muito simples inventar suas próprias versões e receitas. Por que não começar tentando algo refinado, mas ao mesmo nem tão complicado assim?

Geralmente, quando fazemos risotos, o acompanhante presente na maioria das receitas é o vinho branco. Mas é possível usar, em vez do vinho tranquilo, um ingrediente menos usual: o espumante. Preferenciamelnte espumantes mais secos, como o Brut Alliance da Casa Tertúlia, evitando os mais doces, como os moscateis ou demi-secs. Caso você queira usar o vinho branco, também é possível, mas siga a mesma indicação: deixe os adoçados para as sobremesas, e mande os secos para perfumar as panelas! Um vinho que você pode usar na receita e para acompanhar o prato é também o Moscato de Alexandria da Casa Tertúlia. Vamos aos ingredientes?

O espumante Brut Alliance da Casa Tertúlia. Vibrante, jovial e elegante, harmoniza com frutos do mar e risottos.

Para o risotto de espumante:
6 xícaras de caldo de frango ou vegetal
1 colher de sopa de azeite (de oliva ou vegetal)
4 dentes de alho picados
Sal e pimenta a gosto
1½ xícara de arroz arbório
¾ de xícara de espumante seco (como sugestão, o Brut Alliance da Casa Tertúlia)
4 colheres de sopa de manteiga sem sal
¾ de xícara de queijo parmesão ralado na hora

Para as vieiras em manteiga noisette e ervas:
3 colheres de sopa de manteiga sem sal
600 g de vieiras
Sal e pimenta a gosto
2 dentes de alho picados
3 colheres de sopa de salsa fresca picada
1 colher de sopa de cebolinha fresca picada (opcional)

Iniciamos a preparação pela base, o risotto de espumante…

O arroz é a base do risotto. Ele deve ficar cremoso e saboroso, e isso requer uma preparação adequada, com uma boa dose de manteiga e caldo, misturarndo bastante. Nesta receita, o diferencial entra com uma dose do espumante Brut Alliance Casa Tertúlia.

Em uma panela, aqueça o caldo em fogo baixo até ficar quente. Em outra panela ou frigideira, aqueça o azeite em fogo médio a baixo. Junte o alho com uma pitada de sal e um pouquinho de pimenta. Adicione o arroz. Cozinhe, mexendo sempre, para dourar o arroz durante 3 a 5 minutos, até que ele fique translúcido. Assim que ele alcançar essa coloração, acrescente o espumante Brut Alliance da Casa Tertúlia. Cozinhe até que o espumante seja absorvido, e adicione 1 xícara do caldo quente, mexendo continuamente, até ser absorvido. Repita o procedimento com 1 xícara de caldo, mexendo para ocorrer a absorção novamente. Faça o mesmo com mais 2 a 3 xícaras do caldo, até o momento em que o arroz fique cremoso e al dente. Queremos que ele não fique seco, mas que pareça “hidratado”, e que algum líquido fique na panela ao servir. Esse processo todo deve levar cerca de 15 a 20 minutos. Junte a manteiga até derreter, e faça o mesmo com o parmesão. Prove o arroz e tempere com sal e pimenta a gosto. Isso vai depender de quão salgado é o queijo, então é sugerível adicionar conforme necessário.

Seguindo com as vieiras…

Vieiras dourando em manteiga, parte fundamental da receita e que dá um sabor especial ao prato.

O primeiro passo é selecionar vieiras frescas, que devem ter aparência brilhante e aroma adocicado. Como esses moluscos duram pouco tempo, é mais comum encontrá-los congelados, mas se você conseguir encontrá-los frescos, maravilha! Se não, reserve um tempo para que eles descongelem, secando-as em seguida com papel-toalha e temperando com sal e pimenta. Coloque uma panela de ferro para aquecer em fogo médio. Adicione manteiga, que logo irá dourar em contato com a panela de ferro. Espalhe então as vieiras em uma só camada pelo fundo da panela. Elas cozinham bem rápido, então em cerca de 2 minutos de cada lado elas devem estar douradas e prontas, dependendo do tamanho. Desligue o fogo e junte o alho picado, que continuará a cozinhar por mais um minuto ou mais. Depois polvilhe o cheiro verde com salsa picada e cebolinha sobre as vieiras.

Vieiras já douradas na manteiga e temperadas com alho, cheiro verde, sal e pimenta.

Beurre noisette para um sabor amanteigado extra…

Para fazer uma beurre noisette, ou seja, uma manteiga com um douradinho a mais, coloque os pedaços de manteiga em uma frigideira em fogo médio (pode ser a mesma que você usou para as vieiras) e cozinhe até borbulhar, mexendo ocasionalmente, até que alguns pontinhos marrons comecem a aparecer no fundo. Assim que isso ocorrer, desligue o fogo e continue mexendo por cerca de 30 segundos. Aí é só derramar uma colher por cima, o que vai acrescentar ainda mais sabor ao prato final.

Confira o vídeo caso você tenha alguma dúvida sobre como fazer a manteiga dourada. Lembre-se que para o prato apenas algunas colheres bastam, mas você pode fazer mais e guardar para ouras receitas.

Empratamento

Coloque o risotto em uma tigela mais alta ou em um prato, cobrindo-o em seguida com as vieiras. Você pode servir num estilo mais caseiro, colocando tudo em uma tigela grande, ou como porções separadas. Regue mais um pouquinho de manteiga noisette por cima. Se você quiser também dá para polvilhar um pouco de parmesão.

Vieiras, risotto de espumante, cheiro verde e parmesão: tudo coberto por uma generosa colher de manteiga noisette.

Harmonização

Sirva esse risotto de espumante e vieiras na manteiga com cheiro verde acompanhado de uma bebida refrescante e que vá bem com frutos do mar, como é o caso do Brut Alliance da Casa Tertúlia.


Receita original e fotografia compartilhadas no site: https://www.howsweeteats.com/2021/02/scallop-risotto/
Para tirar dúvidas sobre as vieiras: https://blog.tudogostoso.com.br/cardapios/receitas-faceis/o-que-e-e-como-preparar-vieira/ ou https://paladar.estadao.com.br/ingredientes/vieira,10000012852
Sobre beurre noisette ou manteiga dourada: https://cozinhatecnica.com/2019/06/beurre-noisette/

« »